PÁGINA INICIAL
EMPRESAS
ENTIDADES
FEIRAS NO BRASIL
FEIRAS NO MUNDO
EXPOSIÇOES E EVENTOS
ARTIGOS
COMÉRCIO EXTERIOR
ENTREVISTAS
MANUAL DE GEMAS
CURSOS
CURIOSIDADES
JOALHERIA DE ARTE
MODA E TENDÊNCIAS
DICAS PRECIOSAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
CLASSIFICADOS
PROMOÇÕES
COTAÇÃO DO DÓLAR
ANÚNCIOS
SOBRE O JOIABR
FALE CONOSCO
::::::::::::::::::::::::::::

© Joiabr - 2000
info@joiabr.com.br

<<Voltar ao index
ENTREVISTA



Benjamin Janowski (*)


Ben Janowski

O consultor Benjamin Janowski trabalha com organizações e associações de classe, fabricantes e varejistas de jóias, prestando consultoria em vendas, marketing, análise do mercado norte-americano, merchandising e desenvolvimento de produtos. Ben Janowski foi, durante 20 anos, o principal executivo de uma indústria de jóias. Entre seus clientes, estão a De Beers, Golay Buchel, Tecnigold, JCK Magazine, Professional Jeweler Magazine e vários fabricantes e varejistas de jóias norte-americanos. Ele também escreve para várias revistas dos Estados Unidos e profere palestras em importantes eventos, como o International Gemological Symposium, organizado pelo GIA em San Diego e o Designer Day, organizado pelo Fashion Institute of Technology. Recentemente esteve no Brasil para ministrar o Seminário "Como Participar em Feiras do Setor de Gemas e Jóias nos Estados Unidos". Em entrevista ao Jóia br, falou sobre as possibilidades de venda de produtos brasileiros para os E.U.A.

Jóia br - O que o senhor pode nos dizer sobre o potencial de crescimento das exportações brasileiras de jóias para os Estados Unidos da América?
Ben Janowski: Os Estados Unidos continuam sendo um grande mercado para joalharia, mesmo que naturais ciclos de crescimento e declínio possam ocorrer. Os negócios com jóias dobraram nos últimos 10 anos e o povo americano está demonstrando e aumentando seu interesse por jóias finas. Então, posso dizer que o potencial para os fabricantes brasileiros de jóias é muito grande, requerendo somente um compromisso e vontade de se preparar apropriadamente para o mercado norte-americano.

Jóia br - Como as indústrias brasileiras devem se preparar para entrar no mercado norte-americano?
Ben Janowski: Existem naturais diferenças culturais e sociais entre os dois países, então o primeiro objetivo deverá ser estudar e entender o pensamento e os gostos do público americano. Somente após esta etapa, então, se seguirá o desenho e o desenvolvimento de uma linha de produtos adequada aos Estados Unidos e, finalmente, partir para se decidir quais os melhores métodos para distribuição, propaganda e promoção de novas coleções. Manter uma presença maciça nos Estados Unidos, através de representantes de vendas e um escritório local é muito importante e conduzirá ao real sucesso. Participação em feiras especializadas e eventos especiais são também aspectos importantes de um programa de sucesso para os Estados Unidos.

Jóia br - Como o senhor enxerga a participação de empresas brasileiras e dos consórcios de exportação de jóias em feiras do setor nos Estados Unidos?
Ben Janowski: O recurso que as indústrias joalheiras podem lançar mão é o desenvolvimento de uma imagem especial. As empresas brasileiras tem a imagem de um grande País para projetar, daquele que é conhecido pelo seu alegre estilo e livre modo de vida e devem utilizar esta imagem para transformar isto em uma vantagem em relação a outras empresas. Os consórcios de exportação de jóias ainda têm a vantagem extra de dividirem despesas e experiências.


Jóia br - O senhor pensa ser necessário que as indústrias brasileiras desenvolvam linhas específicas de produtos para o mercado americano?
Ben Janowski: Os fabricantes brasileiros de jóias desenvolveram linhas de produtos dedicadas ao mercado doméstico e suas condições únicas. Suas jóias refletem essas condições. Para os Estados Unidos, país que tem um contexto social e político muito diferente, os desenhos e estilos de jóias são da mesma forma diferentes. Para se explorar satisfatoriamente o mercado americano, linhas de produtos apropriadas deverão ser desenvolvidas. Eu estou seguro que existem muitas indústrias brasileiras capazes de efetuar as mudanças necessárias e obter grande sucesso no mercado norte-americano.

Jóia br - Considerando que o desenvolvimento de estratégias de marketing requerem forte e substancial planejamento, quais pontos as empresas brasileiras devem considerar como os mais importantes?
Ben Janowski: O maior esforço deve ser o desenvolvimento de programas de agregação de valores aos produtos, que os torne únicos e atrativos aos varejistas americanos. Isto deve ser seguido por promoções de negócios e uma propaganda que reforce os benefícios desses programas e, finalmente, no tempo correto, iniciar programas baseados na marca da empresa, para que, por sua vez, crie maior reconhecimento do produto e, consequentemente, maior penetração no mercado.

 

(*)Benjamin Janowski - Presidente do The Janos Group Ltd., New York.


<< Voltar para o índice de entrevistas