PÁGINA INICIAL
EMPRESAS
ENTIDADES
FEIRAS NO BRASIL
FEIRAS NO MUNDO
EXPOSIÇOES E EVENTOS
ARTIGOS
COMÉRCIO EXTERIOR
ENTREVISTAS
MANUAL DE GEMAS
CURSOS
CURIOSIDADES
JOALHERIA DE ARTE
MODA E TENDÊNCIAS
DICAS PRECIOSAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
CLASSIFICADOS
PROMOÇÕES
COTAÇÃO DO DÓLAR
ANÚNCIOS
SOBRE O JOIABR
FALE CONOSCO
::::::::::::::::::::::::::::

© Joiabr - 2000
info@joiabr.com.br

 

Sou do ouro... sou Minas Gerais

Ricardo Azevedo


Ele é designer, autor de jóias e empresário. Entre seus clientes estão vários artistas (cantores, músicos e bailarinos) e gente importante de várias partes do Brasil - de Salvador, Brasília, Goiânia e São Paulo, além de Belo Horizonte, sua cidade. As jóias, exclusivíssimas, são pequenas esculturas em ouro e diamantes, suas gemas preferidas.

Além de suas próprias criações, o mineiro Ricardo Azevedo ainda presta serviços para vários designers e artistas plásticos, como Paulo Lender, Mônica Braga, Fernanda Barcellos e Marga Premen. Foi, inclusive, patrocinador de Mônica e Fernanda no Designer Fórum Anglogold 2002, onde as duas foram premiadas.

Trajetória

Muito jovem, aos 15 anos de idade, Ricardo Azevedo começou a trabalhar como aprendiz de ourives na indústria de jóias Marte, em Belo Horizonte - atividade que exerceu por quatro anos. A faculdade de Engenharia foi trocada pelo Design Industrial, na Universidade Estadual de Minas Gerais, antiga FUMA, onde se formou. Com a ajuda dos pais, montou uma oficina de jóias em ouro e prata, chegando a participar de várias edições da Feninjer durante a década de 90. 

Em 1996, mudou-se para Barcelona, na Espanha. Por dois anos, estudou na Escola Massana do Centro Municipal de Artes e Desenho e fez estágios em várias indústrias da cidade. Na volta ao Brasil, inaugurou o Atelier Pulsar, com a proposta de produção de jóias especiais e de prestação de serviços para outras empresas, segundo o modelo espanhol.

Projetos

Viabilizar exposições e exportação de jóias, sempre em parceria com outros designers, são os projetos que Ricardo começou a implantar em seu atelier. Já estão em produção uma linha de tiaras para noivas e uma colução de jóias com pedras brasileiras, que deverão ser exportadas inicialmente para os Estados Unidos.

"É enorme a importância do design, mas não se deve achar que ele sozinho irá tirar o setor da estagnação. É necessária uma mudança de postura em todo o setor joalheiro. As pessoas têm que voltar a dar valor à jóia, e despertar este desejo é fundamental. A indústria da moda já está fazendo isto com sucesso" (Ricardo Azevedo)
pulsaratelelier@ig.com.br



Voltar ao index