PÁGINA INICIAL
EMPRESAS
ENTIDADES
FEIRAS NO BRASIL
FEIRAS NO MUNDO
EXPOSIÇOES E EVENTOS
ARTIGOS
COMÉRCIO EXTERIOR
ENTREVISTAS
MANUAL DE GEMAS
CURSOS
CURIOSIDADES
JOALHERIA DE ARTE
MODA E TENDÊNCIAS
DICAS PRECIOSAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
CLASSIFICADOS
PROMOÇÕES
COTAÇÃO DO DÓLAR
ANÚNCIOS
SOBRE O JOIABR
FALE CONOSCO
::::::::::::::::::::::::::::

© Joiabr - 2000
info@joiabr.com.br

ARTE COM GINGA

Fernando Jorge

...Eu cresci com o passado
Desse tempo tão ligeiro
Rápido como um piscar
Ontem eu era um menino iniciante
Um capoeira errante
Mas nunca deixei de treinar...

(trecho de canção de capoeira, autor: Sapeba)

Ele tem apenas 25 anos e já é uma das grandes promessas do design de jóias nacional. Seu nome? Fernando Jorge.

Fernando Jorge cursava Engenharia de Alimentos, na UNICAMP, e tinha um bom emprego em uma multinacional. Mas, insatisfeito com os rumos de sua vida profissional, começou a pesquisar outras opções. Foi quando descobriu o curso de Desenho Industrial, da Universidade Mackenzie. E isso o fez lembrar da sua afinidade com o desenho, desde a infância. Sem pensar muito, fez inscrição no vestibular e alguns meses depois começava uma nova fase. "Logo no primeiro dia de aula do novo curso, já me sentia mais próximo do que queria. Em seis meses, larguei meu emprego, fiz cursos de computação, pintura e Design Gráfico, enquanto na faculdade tinha optado pela especialização em Design de Produto. Tudo me despertava interesse, mas ainda não tinha escolhido uma área específica. Foi por necessidade que eu procurei um estágio, e através do CIEE, fui chamado para uma entrevista em uma indústria de jóias. Aceitei o desafio!"


Anel Mangangá - representação do personagem Besouro Mangangá, da história da capoeira. A peça é toda articulada, permitindo que a pedra fique ora exposta, ora escondida. Em ouro amarelo, topázio imperial e tucumã.

Anel Sincronia - inspirado no nado sincronizado. Em ouro branco, diamantes e prasiolita. Coleção “Danças”, da Danielle Metais

Brinco Disco Fever - Danielle MetaisEm outubro de 2001, Fernando começou a trabalhar na Danielle Metais. No início, seu maior contato foi com a parte técnica de representação das jóias. Mas logo todo o universo de possibilidades que proporciona a joalheria fez despertar um grande interesse pela parte de pesquisa e criação. Após um período de experiência, foi à BaselShow, na Suíça. A visita à maior feira de jóias do mundo lhe causou grande impacto. Então resolveu optar pela joalheria através de seu trabalho de conclusão de curso.

Aproveitou a oportunidade para ampliar seus horizontes. Pesquisou sobre a história das jóias, teve contatos com artistas e procurou introduzir a joalheria em seu mundo através de um projeto que vinculava a jóia com a capoeira, uma forma de expressão brasileira que há muito faz parte da sua vida.





Anel Cleópatra - coleção “Divas”, da Danielle Metais. Em ouro amarelo, diamantes e quartzo rutilado

Anel Cancan - da coleção “Danças” da Danielle Metais, inspirado na saia das dançarinas de Cancan. Ouro amarelo e diamantes.

Ainda neste período, participou do concurso AngloGold Ashanti Designer Forum 2004, tendo seu projeto “Atabaque” premiado e incluído na Coleção 2004. O par de braceletes é feito em ouro amarelo, couro e sementes brasileiras: pau-brasil, açaí e palmeira sabonete. As cores vermelho, branco e preto representam respectivamente os índios, brancos e negros, etnias que compõem o povo brasileiro. A construção das peças foi inspirada na amarração do atabaque, instrumento de percussão usado nas danças e cerimônias afro-brasileiras, como candomblé e capoeira.

Braceletes "Atabaque"
Coleção AngloGold Ashanti 2004

Continuou na Danielle até o começo deste ano. Fernando diz que esta foi uma experiência decisiva para a sua vida: "pude assumir grandes responsabilidades ao desenvolver coleções para todo o mercado nacional e internacional que a empresa atinge. Tive meu trabalho realizado por uma indústria com uma excelente estrutura, e com um alto grau de exigência".

Atualmente, Fernando trabalha para o Grupo Carla Amorim, sendo o primeiro contratado de uma nova equipe coordenada pela designer de Brasília.

"Penso que cabe ao brasileiro conferir uma imagem positiva ao país. Apesar do design nacional ter uma trajetória recente, já é tempo de reconhecermos, em nossas raízes culturais, arte e artesanato, nossa grande riqueza e nosso maior diferencial"
(
Fernando Jorge)
fpjorge@yahoo.com



Voltar ao index