PÁGINA INICIAL
EMPRESAS
ENTIDADES
FEIRAS NO BRASIL
FEIRAS NO MUNDO
EXPOSIÇOES E EVENTOS
ARTIGOS
COMÉRCIO EXTERIOR
ENTREVISTAS
MANUAL DE GEMAS
CURSOS
CURIOSIDADES
JOALHERIA DE ARTE
MODA E TENDÊNCIAS
DICAS PRECIOSAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
CLASSIFICADOS
PROMOÇÕES
COTAÇÃO DO DÓLAR
ANÚNCIOS
SOBRE O JOIABR
FALE CONOSCO
::::::::::::::::::::::::::::

© Joiabr - 2000
info@joiabr.com.br

Foto: Morg Soares

Mestre das jóias

Caio Mourão


Pintor, desenhista, escultor e joalheiro, Caio Mourão cria jóias que são pequenas esculturas e "esculturas que são jóias que cresceram", como afirmou o artista Roberto Magalhães, ou "prefere o oval do ovo, como Brancusi, ao esplendor multifacetado da romã", segundo Millor Fernandes, se referindo às peças únicas e exclusivas, consideradas as primeiras jóias de autor do país.

Anti-Jóia - Colar em aço, ferro. bronze, prata 950 ml, ouro só na parte subalterna, engaste na pedra - hematita , (especularita- minério de ferro).Artista de vanguarda, nos anos 60 rompeu com o padrão das jóias importadas, criando um design moderno, arrojado, e reconhecido internacionalmente.

Sua inquietação artística se caracteriza numa busca constante pelo novo, pela experimentação, e sempre o conduz a soluções inimagináveis, mas sempre acrescentando algo ímpar á joalheria.

Usando sua fonte inesgotável de talentos, Caio aplica conhecimentos conseguidos como artista plástico para derrubar fronteiras em diversos reinos da criação.

Quebrando paradigmas e sempre em busca do novo, do diferente, ele revolucionou o conceito de jóias no país, transportando para elas seu talento, nossas pedras e nossa cultura.

Espacial (Paris) - Prata 950

Natureza- Objeto II - Da série com o mesmo nome - Mamão ( talo de mamão seco fundido em prata com hematita.) Prata 950

-------------------
Caio Mourão
nasceu em 1933, em São Paulo. Foi aluno de Aldo Bonadei e colaborador de Antonio Bandeira e Di Cavalcanti em vários painéis. Expôs na II Bienal de São Paulo. Em 1956, iniciou-se em joalharia. No ano seguinte, mudou-se para o Rio de Janeiro e se tornou carioca 'por adoção'.

"Quando comecei a aplicar o que havia aprendido como pintor e gravador em joalheria, conheci Haroldo Burle Marx que era lapidário e realizava jóias muito arrojadas, desenhadas pelo irmão (o paisagista Roberto Burle Marx). Começamos a fazer, em separado, jóias numa linha de ruptura com as importadas, creio que foram as primeiras jóias com design brasileiro no país".

Em 1963, conquistou o 1 Prêmio Internacional de Joalheria, na VII Bienal de São Paulo. Foi para Paris a convite de Pierre Cardin, no final dos anos 60. Ministrou curso de design em Portugal e aprendeu técnicas de fundição e prataria pesada. De volta ao Brasil, em 1969, começou a dar aulas em seu atelier, em Ipanema. Aos poucos, sua filha Paula foi assumindo o comando dos cursos, sempre com a supervisão de Caio. Alguns dos mais importantes nomes do design de jóias no Rio de Janeiro passaram pelo Atelier Mourão.
Atualmente, Caio mora em Iguaba Grande, no litoral fluminense.
------------------

Pulseira desenhada a fogo - Prata 950 "Se na Genesis no princípio era o Caos, podemos parafrasear dizendo que, na joalheria, no princípio era o Caio. Podemos ir adiante e, observando o que se faz hoje em dia, constataremos que, pela influência que imprimiu em todos nós, no momento ainda ele é a referência mais marcante de que dispomos. Olhando de longe o trabalho dos novos joalheiros, posso resumir afirmando que Caio é o principio, o fim e o meio." - Alfredo Grosso, ex-aluno, designer e joalheiro  

"Seu nome é sinônimo do que há de melhor no universo da jóias de autor. Tenho a honra de ser sido aluna de Caio. Em suas aulas, tínhamos a oportunidade de superar a inquietante necessidade de ver nossos trabalhos executados e era através de situações curiosas, momentos divertidos, saborosos e, certamente, sábios, que chegávamos ao fim tão esperado. Foi ele quem me abriu as portas desse tempo maravilhoso da jóia de autor. O encantamento foi súbito, e lá se vão 18 anos. “... e como o tempo não tem forma, no entanto, dele são extraídas coisas boas e preciosas”. Caio é isto, ...que veio no tempo certo" - Lúcia Abdenur, designer e joalheira.

"Caio é assim como a Bossa Nova: se não tivesse existido, talvez tudo não tivesse começado..." - Willian Farias, ex-aluno, designer e joalheiro

"É fácil ver o que é um mestre quando Caio tem o metal nas mãos" - Francisco Garcia, ex-aluno, joalheiro e professor do Atelier Mourão

"Caio está sempre buscando coisas novas e diferentes, apresentando surpresas delirantes aos nossos olhos" - Paula Mourão

"Caio Mourão sempre viveu conforme suas convicções, sem desvirtuar suas idéias" - Livia Mourão

Alamanda -  Aço inoxidável , Bronze e Solda elétrica - base em dolomita

Semente Real - Aço Inoxidável e Solda Elétrica - base em dolomita

Joy, joie, jóia = Joalheria.
Em inglês, francês, italiano e português significa alegria e que nunca deixou de ser desde que, na Idade da Pedra, uma concha, seixos ou penas foram acrescentados ao corpo humano como atavios.
Eva usava sua folha de parreira alegremente. Hoje em dia, os seixos são brilhantes, esmeraldas; as penas, metais preciosos e até a folha vem assinada por um célebre costureiro, mas a alegria em usá-las é a mesma. Nada mudou, só o estilo das novas "alegrias".
(Caio Mourão)
mourao@redelagos.com.br



Voltar ao index