PÁGINA INICIAL
EMPRESAS
ENTIDADES
FEIRAS NO BRASIL
FEIRAS NO MUNDO
EXPOSIÇOES E EVENTOS
ARTIGOS
COMÉRCIO EXTERIOR
ENTREVISTAS
MANUAL DE GEMAS
CURSOS
CURIOSIDADES
JOALHERIA DE ARTE
MODA E TENDÊNCIAS
DICAS PRECIOSAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
CLASSIFICADOS
PROMOÇÕES
COTAÇÃO DO DÓLAR
ANÚNCIOS
SOBRE O JOIABR
FALE CONOSCO
::::::::::::::::::::::::::::

© Joiabr - 2000
info@joiabr.com.br


USO DOS DOCUMENTOS DE EMBALAGEM E PESO DE MERCADORIAS


Sergio Hortmann (*)





Há mais de um documento que pode ser emitido na exportação, para declarar a embalagem das mercadorias, pesos, volumes, etc.

Usualmente se fala da Packing List para fazer o papel de todas estas declarações, sendo o mais solicitado e emitido. Embora seja o mais utilizado, não é tão conhecido em detalhes como se imagina e nem sempre sua emissão segue a forma correta, isto é, de representação daquilo que significa.

Originalmente, a Packing List deve representar somente a descrição da embalagem primária da mercadoria e a embalagem secundária, que é aquela que envolve a primária, de que material estas são constituídas, quantas embalagens primárias estão contidas na secundária, o peso de cada uma das duas embalagens, os dizeres que constam destas e as marcas de embarque, de modo que se conheça detalhadamente como a mercadoria está apresentada.

Além das informações acima, deverão ser mencionados os dados de identificação da operação, tais como o exportador, importador, veículo transportador internacional, detalhes do embarque, locais de embarque e desembarque e número da fatura comercial, embora não seja uma obrigatoriedade.

Qualquer outra informação que não tenha sido acima mencionada, salvo algum detalhe relacionado a elas, não deve fazer parte deste documento, embora seja costume ser solicitada pelo importador e ser emitida pelo exportador, inclusive longas descrições detalhadas das mercadorias, suas características, pesos, etc.

Para detalhes de descrição de mercadorias, pesos e outras informações existem documentos mais adequados, os quais usualmente são desconhecidos ou não utilizados para tanto.

Um deste documentos é a Weight List, ou Lista de Pesos, que como o próprio nome diz, é utilizado para se descrever o peso de cada volume. Caso todos tenham o mesmo peso, não se justifica a sua emissão.

Outro destes documentos é o Weight Certificate, ou ainda Weight Note, ou Certificado ou Nota de Peso, que é utilizado para se declarar resumidamente o peso total do embarque, sem relacionar cada volume. Este pode ser substituído por um carimbo ou anotação no Conhecimento de Embarque ou outro documento escolhido.

Finalmente, há ainda o denominado Romaneio, que em geral é um substituto de todos os anteriores e faz as vezes de cada um.

Embora tecnicamente a utilização de cada documento acima citado separadamente seja a mais adequada, nem sempre isto ocorre, já que é muito comum a emissão de qualquer um deles com detalhes dos demais, o que acaba misturando-os, apesar de isto não representar um problema.

Usualmente estas emissões de documentos misturados acontece pela falta de definição por parte do importador. Deve-se, entretanto, em operações com pagamentos amparados por cartas de crédito, tomar cuidado no preenchimento do que for solicitado, como deve ser emitido e qual sua denominação, para se evitar gerar divergências.



(*) Sergio R. Hortmann
- Consultor em Comércio Exterior, Sócio-proprietário da AH Internacional Ltda. Assessoria e Consultoria, ministra também cursos e palestras para empresas do setor.
 

Artigo anterior / Próximo artigo

Índice