PÁGINA INICIAL
EMPRESAS
ENTIDADES
FEIRAS NO BRASIL
FEIRAS NO MUNDO
EXPOSIÇOES E EVENTOS
ARTIGOS
COMÉRCIO EXTERIOR
ENTREVISTAS
MANUAL DE GEMAS
CURSOS
CURIOSIDADES
JOALHERIA DE ARTE
MODA E TENDÊNCIAS
DICAS PRECIOSAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
CLASSIFICADOS
PROMOÇÕES
COTAÇÃO DO DÓLAR
ANÚNCIOS
SOBRE O JOIABR
FALE CONOSCO
::::::::::::::::::::::::::::

© Joiabr - 2000
info@joiabr.com.br


O VALOR DO DESENHO DE UMA JÓIA


Sergio Hortmann (*)





janeiro / 2004

Como parte de minha profissão e atuação no setor joalheiro, lido diariamente com um fator que considero da mais alta importância nos dias atuais: o design de jóias.

Fruto de contatos constantes com diversos profissionais desta área, com muitos desenvolvi excelentes amizades e, por isso,tenho vivenciado os dois lados da moeda. De um lado, os empresários fabricantes de jóias, meus principais clientes, necessitando expandir, atrelam seu sucesso ao indispensável design diferenciado. Entretanto, pelo compasso atual do mercado, se preocupam às vezes até mais do que deveriam com o custo do design em sua empresa. Explicarei a seguir porque penso que esta preocupação é excessiva. Do outro lado, se encontra o profissional de design de jóias, profissão ainda não oficialmente regulamentada, embora já exista um consenso sobre as atribuições, direitos e deveres destes, assimilado pelo setor. Além do talento nato, necessidade de preparação acadêmica e atualização constante fazem parte das características dos designers de jóias.

A situação que gostaria de expor tem uma visão de mercado: a imprescindibilidade do design diferenciado na jóia brasileira. O Brasil, como todos os fabricantes sabem, apesar de possuir uma mão-de-obra barata em relação a alguns países desenvolvidos, carece de profissionais de ourivesaria (modelistas, ourives, cravadores), insuficientes para a demanda e/ou não especializados. Para piorar o quadro, existem países, como a Índia e a China, que promovem dumping em sua produção industrial.

Ora, se o Governo fornece a um empregado de uma empresa alimentação, saúde, educação, moradia e vestuário, o custo deste funcionário para as empresas é irrisório, já que esta não precisa pagar a cobertura destas despesas. Quando então, exportam os seus produtos, em minha opinião estão promovendo uma prática de dumping, pois o custo de produção destas empresas seria bem acima do apresentado, caso tivesse que remunerar normalmente os seus funcionários.

Bem, como competir, então, com um mercado de práticas tão desleais? Resposta: com a criatividade e o jeito alegre do brasileiro. Daí, posso afirmar que o designer é, por conseqüência, grande responsável pelo sucesso da empresa. São profissionais preparados, que muito estudaram e se atualizam constantemente. Se este sucesso é obtido pelo retorno do mercado ao design da empresa, já que não podemos competir em preços com Índia e China, porque o designer de jóias é tão mal remunerado no Brasil? Se considerarmos um custo de, hipoteticamente (não estou aqui defendendo valores de qualquer natureza!), R$200,00 por desenho, considerando que foram produzidas somente 100 peças deste modelo, representaria um custo de R$2,00 por peça. Será que este é um valor absurdo para se pagar para se produzir uma jóia com design diferenciado e se destacar da concorrência?

Muitos empresários do setor já descobriram que é facilmente diluível o custo do design em suas coleções. Outros ainda questionam os valores cobrados, principalmente por aqueles designers com maior experiência no mercado.

Para referendar minhas palavras acima, peço a rápida reflexão do leitor, identificando as empresas que vêm se destacando no mercado, principalmente o internacional. Todos têm investido no design diferenciado de seus produtos e utilizam esta estratégia até mesmo para suas publicidades. Qual será, então, o valor justo do desenho de uma jóia?



(*) Sergio R. Hortmann
- Consultor em Comércio Exterior, Sócio-proprietário da AH Internacional Ltda. Assessoria e Consultoria, ministra também cursos e palestras para empresas do setor.
 

Artigo anterior / Próximo artigo

Índice