PÁGINA INICIAL
EMPRESAS
ENTIDADES
FEIRAS NO BRASIL
FEIRAS NO MUNDO
EXPOSIÇOES E EVENTOS
ARTIGOS
COMÉRCIO EXTERIOR
ENTREVISTAS
MANUAL DE GEMAS
CURSOS
CURIOSIDADES
JOALHERIA DE ARTE
MODA E TENDÊNCIAS
DICAS PRECIOSAS
ÚLTIMAS NOTÍCIAS
CLASSIFICADOS
PROMOÇÕES
COTAÇÃO DO DÓLAR
ANÚNCIOS
SOBRE O JOIABR
FALE CONOSCO
::::::::::::::::::::::::::::

© Joiabr - 2000
info@joiabr.com.br



O MUNDO É 3D


*Luciane Barboza



abril / 2012

A tecnologia invade nossas vidas de forma tão sorrateira, que hábitos antes corriqueiros parecem hoje em dia coisa de filme em preto e branco. Quem se imagina escrevendo uma carta à mão ou, na melhor das hipóteses, em uma bela máquina de escrever, indo aos correios para enviar a um amigo que está distante ou ao seu grande amor?

O que seria de nós sem os PCs, tablets, Facebook, e-mail, SMS e tantas siglas? Seríamos gente desesperada em busca de algo que preencheu uma lacuna na vida moderna; a correria pelo tempo que insiste em nos atropelar, cobrando resultados quase que instantâneos do nosso trabalho.

No ramo do design de produto, temos que adicionar à nossa coleção de siglas mais meia dúzia de letras capazes de construir “literalmente” nossas ideias com a precisão e velocidade que tanto almejamos. CAD/CAM é o novo código - esta tecnologia que ainda parece um pouco distante para alguns, como distantes um dia foram os celulares, video chatstouchscreens para nossos pais, avós e até para nós mesmos.

Imagens (render e peça pronta) do pingente "chuteira", criado por Luciane Barboza para Tufão, personagem de Murilo Benício na novela Avenida Brasil, da TV Globo.

Computer Aided Design (desenho assistido por computador) e Computer Aided Manufacturing (fabricação assistida por computador)

Hoje é possível projetar em 3D, digitalmente, produtos de vários tipos, desde aviões, navios, eletrodomésticos, calçados e uma infinidade mais. Melhor ainda que projetar é fabricar estes produtos com o auxílio do computador, ou seja, fabricar via impressão 3D. Assim como imprimimos documentos no Word, podemos imprimir “protótipos” ou modelos em materiais diversos. Fala-se atualmente de uma nova revolução industrial, onde cada pessoa possuirá sua impressora 3D e os produtos serão manufaturados “em domicílio”. E isso já não é ficção!

Nosso produto, a joia, não poderia ficar fora desta revolução. Hoje é cada vez mais acessível e habitual a modelagem 3D das joias e a prototipagem do seu modelo através desta tecnologia, o que traz inúmeras vantagens. Atualmente o custo de um protótipo é bem atrativo; sua qualidade e nível de detalhamento são imensos. Modelos de difícil execução podem ser feitos de forma precisa, sem os atropelos e desencontros de ideias com os modelistas. E mesmo que você opte por executar a peça manualmente, terá um projeto perfeito e detalhado para apresentar ao seu ourives. A visualização do resultado final da joia é possivel antes mesmo dela existir, através da renderização do modelo. A execução de portfólios virtuais evita o gasto com fabricação de peças para apresentação ao cliente; temos a opção de prototipar o modelo da joia em material que irá direto para fundição, ou ainda fazer o protótipo em resina da qual se extrai a borracha fria (silicone) dele próprio, para posterior reprodução. E por aí vai...

Como professora de modelagem 3D, sinto ainda um pouco de resistência de algumas pessoas em relação a estas novas tecnologias, uma vez que o caráter manual da fabricação das joias é quase um “mito”, uma tradição que sobreviveu por milênios e agrega ao nosso produto o valor de um objeto de arte.Cabe lembrar que as mãos dos nossos ourives, modelistas e cravadores não podem ser totalmente substituídas e nem o valor deste tipo de trabalho diminuído, de forma alguma!

É uma simples questão de adaptação às necessidades modernas e da indústria, mesmo porque para se modelar uma joia para prototipagem é primordial que se tenha conhecimento destas matérias. Projetamos uma peça no mundo virtual, porém ela deve ter as características técnicas necessárias para existir de forma viável no mundo real. Na Europa, inclusive, já se fala em uma nova profissão: o "ourives virtual".

Aos designers posso afirmar que, do ponto de vista artístico, a frieza aparente da máquina não embota em nada o processo criativo. A sensação única de se criar uma peça apenas se deslocou, saltou do papel para o Led. A alegria de ver a peça pronta saindo das suas mãos foi apenas substituída pelo “impacto” de receber seu protótipo pronto, perfeito! Pura emoção! Acredito que as ferramentas dos softwares de modelagem provocam uma expansão do potencial de ideias, uma vez que peças anteriormente de impossível confecção podem ser impressas via 3D com muita facilidade. Além disso, acompanhamos em tempo real as modificações da forma do objeto modelado. Uma dinâmica criativa diferente se apresenta.

Nas imagens acima, é possivel ver todas as fases de criação do pingente, desde o modelo 3D até a peça pronta. A lingueta e o cadarço da chuteira foram feitos manualmente, para garantir um melhor acabamento e realismo à joia.

Concordo com a alegação de que manusear um software de modelagem 3D, talvez não seja algo tão simples e que requeira bastante dedicação por parte do iniciante. Porém, diante dos resultados que podem ser alcançados, todo esforço vale a pena. A sensação que tenho é que estamos apenas no início de uma grande trajetória rumo à impressão 3D e que a tendência é que, assim como as impressoras irão se popularizar, os softwares de modelagem irão se tornar cada vez de mais fácil manuseio.

Concluímos que o design em geral ganhou grandes aliados. Para quem ama o trabalho manual, um aviso: está tudo sob controle! Confeccionar uma peça manualmente é arte pura. A arte é infinita e necessária, sempre há de existir e ser objeto de admiração.

É só uma questão de estarmos no lugar certo, na hora certa. E a hora chegou.

Não vamos mais ao correio postar uma carta. Nem por isso as cartas de amor acabaram. Tudo em seu devido tempo e em seu devido lugar...

 


* Luciane Barboza é graduada em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Escolheu por vocação o caminho das artes plásticas. Estudou escultura acadêmica no Liceu de Artes e Ofícios, formou-se em design de joias pelo Senac/Rio. Trabalhou como modelista (cera) para designers e indústrias no Rio de Janeiro. Atualmente é professora de Modelagem 3D para joalheria (Rhinoceros), ourivesaria e modelagem em cera do Senac-Rio. Como designer, dedica-se à criação e modelagem digital de joias, com o desenvolvimento de peças e coleções para clientes particulares e empresas como a Rede Globo e Coke Clothing, entre outras.
modelagemcera@hotmail.com

<< Voltar para o índice de artigos